7 benefícios para investir em segurança do trabalho

Segurança do trabalho é tendência crescente

Cerca de 700 pessoas sofrem acidentes do trabalho todos os anos no Brasil, fazendo com que o país seja o quarto do mundo no ranking da falta de segurança do trabalho, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) – atrás apenas da China, a Índia e a Indonésia.

Apesar das 36 normas regulamentadoras das condições de trabalho, bastante específicas para diversas atividades, na visão dos juízes trabalhistas o cumprimento e a fiscalização ainda são muito falhos.

Para se ter uma ideia, apenas em 4 anos – entre 2012 e 2016 – houve 13,3 mortes relacionadas aos acidentes de trabalho no Brasil. O número de afastamentos por licença médica custaram aos cofres públicos cerca de R$ 22 bilhões no mesmo período.

Os dados podem ser da Previdência Social, mas a iniciativa privada também sofre, direta e indiretamente, pela falta de segurança do trabalho. Afinal foram nada menos que 3,5 milhões de acidentes de trabalho em todo o país nesses quatro anos, sendo que só de fraturas foram 450 mil.

Por outro lado, é bom lembrar que os trabalhadores informais não entram nessas estatísticas, já que o INSS cobre apenas seus segurados – que, por sua vez, representam apenas 70% da População Economicamente Ativa (PEA)

Tantos afastamentos geram um impacto imenso na produtividade, seja qual for o ramo do negócio. O investimento em segurança do trabalho é, portanto, tanto uma proteção à integridade física e psicológica dos funcionários quanto à instituição como um todo.

Segurança do trabalho gera mais segurança e qualidade do serviço

Veja agora 7 benefícios que sua empresa pode ter com esse conjunto de medidas chamado segurança do trabalho.

1 – Segurança do trabalho gera menos gastos

A eficiência preventiva da segurança do trabalho reduz os custos com afastamentos ou ações judiciais. Além disso, ao reduzir o risco de acidentes as medidas também mantêm a atenção do funcionário na execução da tarefa, diminuindo o gasto com materiais.

A exposição do funcionário a riscos aumenta as chances de gastos com indenizações, fazendo com que a aposta na prevenção de riscos seja um investimento a longo prazo em sua própria organização.

2 – Melhor logística com a segurança do trabalho

O investimento em segurança do trabalho faz com que a empresa invista em uma logística mais eficiente, melhorando não apenas o cuidado com o funcionário, que se sente mais motivado em sua função, mas também a produtividade como um todo.

3 – Mais integração entre os colaboradores

Os treinamentos em segurança do trabalho visam garantir o conhecimento teórico e prático de todas as normas, mas também acarretam em uma maior integração entre os funcionários. Ao mesmo tempo, a empresa expõe seu compromisso com a integridade dos colaboradores e reafirma suas metas e objetivos.

4 – Mais segurança gera mais qualidade do serviço

O rendimento do funcionário também pode ser influenciado negativamente pela possibilidade de ocorrência de acidentes ocupacionais. Quando o trabalhador se sente seguro, por outro lado, ele pode se focar em alcançar bons resultados para a organização.

Portanto, sentimento de segurança gera nos funcionários maior seriedade e respeito pela tarefa desenvolvida, que se reflete na qualidade da produção e na preocupação em apresentar o melhor produto final possível ao cliente.

5 – Mais respeito no ambiente corporativo

A responsabilidade social aumenta a credibilidade da empresa no ambiente corporativo. Uma empresa que demonstra comprometimento com a qualidade de vida de seus funcionários tem sua imagem favorecida e mais respeitada no mercado.

segurança do trabalho gera mais respeito no ambiente corporativo

6 – Segurança do trabalho é tendência crescente

Apesar das estatísticas, a segurança do trabalho é tendência entre as mais importantes empresas de todos os tamanhos e segmentos. Pesquisa do Serviço Social da Indústria (SESI) realizada entre outubro de 2015 e fevereiro de 2016 com 500 empresas de médio e grande porte mostrou que para 48% delas as ações de segurança do trabalho e promoção da saúde do funcionário reduzem as faltas ao serviço.

Mas a pesquisa vai ainda mais longe. Ela mostra ainda que para 43,6% delas os programas de segurança do trabalho melhoram a produtividade e 34,8% que elas reduzem os custos gerais da empresa. Ou seja, a empresa que não investe em segurança do trabalho tem menor competitividade no mercado.

7 – Estar de acordo com as leis trabalhistas

Investir em segurança do trabalho é agir de acordo com a legislação trabalhista, que estabelece um conjunto de regras que visam minimizar acidentes, reduzir doenças ocupacionais, proteger a capacidade de cada funcionário e alcançar diversos benefícios para a empresa.

As primeiras normas regulamentadoras (NRs) foram aprovadas em 1978. Hoje elas são 36, sendo que as principais são:

Equipamento de Proteção Individual (NR-6) – A empresa de oferecer, gratuitamente, equipamentos de proteção individual para cada funcionário e disponibilizar capacitações para que ele saiba usar e conservar corretamente cada peça.

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO – NR-7) – Visa prevenir e identificar precocemente as doenças ocupacionais, como foco na realização de exames admissionais, periódicos, mudança de função e demissional.

Ergonomia no trabalho (NR-17) – Estuda as organizações que possuem interação entre humanos e máquinas, buscando melhorar o ambiente do funcionário, oferecendo segurança e aumentando a produtividade.

O investimento em segurança do trabalho beneficia tanto o funcionário quanto a empresa, que se torna parceira de uma ambiente saudável e com menos riscos evitáveis.

Quer saber mais sobre segurança do trabalho? Deixe aqui sua sugestão!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *